terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Monólogo sobre Exceções


Sempre gostei muito dessa palavra: Exceção, algo nela sempre me encantou... Algumas palavras me encantam desde sempre, sou louca por palavras... Mas esta não é a questão do momento, hahaha... Agora vou falar sobre exceções... Ocorreu-me a ideia de que algumas pessoas na verdade mais que merecem uma reavaliação das nossas exceções, vou explicar: É que todos nós temos alguns conceitos formados... Mas surgem pessoas em nossos caminhos que merecem mais que merecem uma reavaliação dos nossos conceitos. Pessoas incríveis, interessantes, impares, que merecem todas as nossas exceções, até aquelas mais EXCEÇÕES, é difícil explicar porque eu sempre fui tão cheia de convicções, mas a vida, o destino, o acaso sei lá o que, sempre fez questão de colocar em meu caminho algumas pessoas incríveis que fizeram com que eu visse que as vezes é necessário rever nossos conceitos, nossos pré-conceitos e tudo que nos prende de abrirmos algumas exceções, de nos permitimos, de irmos além, sabe, eu amo, adoroooooo as exceções, é claro que elas provocam em nós um medo, mas é normal porque as exceções fogem do habitual, da mesmice a qual estamos acostumados e as vezes da hipocrisia que nos afasta do novo, novas pessoas, novos amigos, novos amores, novas emoções, de tudo aquilo que não vivemos ainda, o ser humano anseia tanta liberdade e não percebe ele é quem cria as grades que o prende. Observe quem merece suas exceções e permita-se mudar, inovar, evoluir e até mesmo involuir, mas permita-se!

(Sidiane Gondim)

domingo, 25 de dezembro de 2011

Monólogo sobre o Tempo


Sempre discordei dessa coisa de "entregar ao destino" "dar tempo ao tempo" e todas essas coisa mais que costumamos falar quando não nos sentimos capazes de resolver alguma situação, mas... Cheguei à conclusão que existem coisas que realmente não somos capazes de resolver, principalmente quando se trata dos sentimentos das outras pessoas! As pessoas agem de acordo com os seus próprios motivos e sentimento não cabe a nós simples mortais julgá-las. Algumas coisas realmente só o tempo é capaz de resolver, às vezes quanto mais somos relutantes tentando resolver uma situação, mas ela foge das nossas mãos, algumas coisas só são possíveis de serem desvendadas, vivendo, entregando ao TEMPO!

(Sidiane Gondim)

sábado, 17 de dezembro de 2011

Monólogo sobre Amizade


Amizade é quando você esquece as suas lagrimas e vai enxugar as lagrimas de um amigo, amizade é doação, é dar sem preocupar-se com reciprocidade, é amar e aconselhar, é estar junto mesmo que o mundo inteiro vire as costas, é nunca desistir do amigo... Amizade é ligar pro amigo a qualquer hora do dia ou da noite sem ter que se preocupar com horário, amizade é estar em um problema e saber que se o seu amigo estivesse com você estaria se sentido mais forte, amizade é estar em uma festa e desejar que o seu amigo estivesse compartilhando este momento de alegria com você, amizade é amor incondicional e vai muito além de simples frases clichês em redes sociais, vai além de meros cumprimentos formais, vai além do além... Eu tenho poucos amigos, mas os poucos que tenho são muitos! Sei que são realmente AMIGOS! Amizade é uma benção é torcer tanto quanto você torce pra você mesmo, é ficar feliz com a felicidade do seu amigo e ficar triste quando ele não está bem! Amizade é rir de coisas que para as outras pessoas soam idiotas, é poder ser você mesmo sem nenhum medo de ser mal interpretado, é ter piadas internas (coisas que somente você e seu amigo entenderão os verdadeiros significados), é pedir a Deus que sempre proteja este ser de luz que você pode chamar de AMIGO!

(Sidiane Gondim)

Monólogo sobre Paixão


Sempre quis escrever sobre isso, mas sempre quando me encontro apaixonada fico tão boba que esqueço de escrever... Huashuas... Então, aproveitando este momento no qual eu ainda não me encontro boba para falar de tal assunto, vou tentar escrever um pouquinho... É engraçado o estado em que ficamos quando estamos apaixonados, o que uma bendita paixão faz com a gente, criamos uma projeção em cima do que a outra pessoa realmente é e tentamos fazer de tudo para que esta projeção não suma, não desapareça, nesse meio tempo erramos na tentativa de transformar o outro na nossa projeção, na pessoa que projetamos e que só existe nos nossos sonhos (dormindo e acordada)... Isso é interessante, todas as esperas, todos os "sinais" (os que realmente são sinais e os que fantasiamos), tudo isso é muito interessante! Além daqueles sinais clichês: coração acelerado, mãos suando, pernas bambas, ficar tentando agir com naturalidade e acabar parecendo um robô, é engraçado estar apaixonada! Para mim a benção e a maldição da paixão é a fantasia, sim como benção nos permite flutuar, como maldição nos faz projetar algo que não existe da maneira que imaginamos! O grande lance é sabermos aproveitar estes momentos apaixonados, apaixonantes... Eles são raros e unicamente incomparáveis, cada paixão é única embora seja semelhante nunca será igual a outra! Fiquem bobos de PAIXÃO!

(Sidiane Gondim)

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Monólogo sobre Mutação


Eterna MUTAÇÃO, mas não por querer, algumas situações nos obrigam a MUDAR & EVOLUIR ou... INVOLUIR... Não se apegue aos erros cometidos, não faça deles a sua prisão, você pode ter errado uma, duas, três, quatro, inúmeras vezes, mas você não deve usar isso como exemplo para continuar no erro! Use sim, todos os erros que você cometeu como aprendizado, como uma noção do que você não quer mais na sua vida! Você sempre pode recomeçar, nunca é tarde pra reinventar, pra tentar algo diferente, pra ser feliz! Visualize bem todos os ângulos da sua vida, com uma lupa se preciso for, tenho certeza que você conseguirá encontrar a solução... Seja qual for o problema; Amoroso, Financeiro, Familiar... Os erros existem para que possamos aprender com eles, se não existissem não saberíamos reconhecer os acertos! Seja a própria flecha e se jogue no alvo do seu objetivo!

(Sidiane Gondim)

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Monólogo sobre as Entrelinhas


O pior é que eu entendo as entrelinhas, acho que as pessoas que só entendem as linhas analisam menos as situações e assim se sentem mais felizes! Pode ser que não...  Pode ser exagero essa minha mania de "interpretar as entrelinhas", mas não paro de fazer isso... Meio que tento entender as situações além do que elas parecem ser isso me ajuda na vida acadêmica, mas na vida pessoal isso me complica um pouco, por um lado, até que é bom porque consigo ver algumas coisas que a maioria não consegue, mas por outro... É difícil porque quem busca o que quer, pode se deparar com o que não quer! Sinceramente estou buscando um equilíbrio nessa situação, hoje minhas palavras estão mais confusas do que nunca, mas eu queria escrever... Haha... Acho que to pegando mania de psicólogo: analisarrrrr!
Mas muitas coisas importantes ficam nas estrelinhas, quando observadas podem ser aproveitadas, quando não, se perdem... Vou partir para um simples exemplo: O espaço entre duas bocas antes de um beijo acontecer... É uma emoção intensa, mas quando o beijo acontece, poucas pessoas lembrarão essa emoção, só conseguirão lembrar-se do beijo! Acho que é mais ou menos isso... Há partir disso pra ter uma noção do que fica nas entrelinhas!
Percebam mais as entrelinhas, são como pequenos sinais que podem nunca mais ser dados!

(Sidiane Gondim)

sábado, 3 de dezembro de 2011

Monólogo sobre Liberdade

 
Pra que ficarmos nós prendendo a tabus que a “sociedade” insiste em enfatizar?
Só temos essa vida pra viver e se possivelmente tivermos outra será outra vida, mas essa é só essa, o que temos que fazer é VIVER com toda intensidade que conseguirmos, porque o tempo passa e as oportunidades de sermos felizes vão diminuindo, não somente porque vamos envelhecendo, mas porque com o passar do tempo nós prendemos tanto aos tabus que a sociedade nos impõe que nos alienamos de nós mesmos! Não deixe que o que os outros querem seja o ponto de partida da sua vida, você e o seu querer devem ser o seu ponto de partida! O tempo passa muito rápido pra quem não sabe aproveitá-lo! Só levaremos da nossa vida o que vivermos, somente as emoções, os momentos felizes e a intensidade com a qual tocamos as pessoas com as quais convivemos, nada além disso... Seja o seu sim e o seu não, busque a sua própria VERDADE!

(Sidiane Gondim)